Seriado: Hinterland

11/08/2016 § Deixe um comentário

7ef9SXrNRTc.market_maxres

Em um recente post escrevi sobre meus gostos atuais por filmes e seriados, por histórias verídicas de pessoas vulgares à desbravadores, como Vikings. Mas tem algo que também destaca aos meus olhos nas escolhas do que vamos assistir: a paisagem, a estética visual. Quanto mais exploram a natureza, os lugares inabitados, a beleza natural, mais quero ver. E é o caso desse seriado: Hinterland. Ele é filmado no País de Gales, em Aberystwyth e conta a história do investigador Tom Mathias, um cara perturbado que deixou Londres para solucionar crimes em um local cheio de segredos.

A paisagem é de tirar o fôlego. Sem contar que mesmo tendo somente duas temporadas de cinco episódios, os noventa minutos de cada episódio são muito bem desenvolvidos, uma trama muito amarrada, sem deixar pontas soltas. Se você gosta de histórias envolvendo crimes e segredos obscuros, o seriado é perfeito!

A terceira temporada já está sendo produzida e na nossa primavera possivelmente poderemos assistir! Ah, uma curiosidade, o seriado é filmado em duas línguas, em inglês e em galês. As duas temporadas do seriado vocês podem encontrar no Netflix.

kelly_vi

A natureza da casa

18/11/2011 § 1 comentário

Para terminar os posts sobre as ideias de casas perfeitas (para mim, claro), eis a finalista! Esta casa fica no litoral uruguaio (se não me engano) e é maravilhosa. Linhas retas, janelões, estrutura que flutua sobre o terreno, no maior estilo Mies Van der Rohe. Pena que ocupa uma parte grande de terreno, mas diminuindo um pouco os espaços a casa fica em um tamanho perfeito!

O contato com a natureza é 100% necessário. Essa interação sempre será o que levo pra vida, no meu trabalho, é o que faz valer tudo a pena. Inspiração pra vida.

Desde os tempos nórdicos

22/09/2011 § Deixe um comentário

Em poucos momentos mesmo não gosto da madeira para decoração. Meu caso de amor mesmo pela madeira começou a ficar mais sério depois que fui morar na Noruega. É galera… para quem aqui é novo, morei um ano por aquelas bandas geladas, de 1998 até 1999. E é justamente por lá que aprendi a combinação clean+madeirão para casa. A galerinha nórdica é campeã em objetos, decoração, desenhos limpos, com linhas retas, jogando com a natureza de forma exemplar. Eles realmente sabem fazer uma ótima harmonia e não tem medo de arriscar no faça-você-mesmo em casa. Aprendi muito com eles e continuo aprendendo, já que cada vez mais o design escandinavo tem se destacado no mundo.

E a madeira pode ir em tudo em uma casa? Claro, sempre dando preferência à madeiras de demolição ou móveis de garimpo, móveis antigos que podemos encontrar em tudo o que é brique/móveis usados, ou madeira reflorestada. Abaixo algumas ideias, somente algumas, já que realmente podemos fazer de tudo um muito!

Reflexão: Consumo consciente

10/05/2010 § Deixe um comentário

Consumo consciente: já está na hora de levar mais a sério. Estamos em 2010, a grande poluição, o alto consumo de produtos primários, a água potável se esgotando, mostram que realmente devemos parar tudo e refletir como queremos viver a partir de agora.

Cada um pode sim fazer sua parte. O mundo está tão egoísta que pensamos que nós não faremos a diferença, somente grandes empresas poderão. Mas não é bem assim. Se cada um começar a refletir como está vivendo e fazer de fato algo para mudar, podemos ver um futuro melhor. E essa reflexão pode começar com o consumo. Não acha um absurdo querer toda a hora ter, ter, ter, comprar algo da moda que daqui a meio ano não usará mais? Não acho errado comprar, nem querer estar bem, mas os limites estão sendo ultrapassados rapidamente. Já falei aqui e repito, não gosto do termo “must have”, já que ninguém de fato precisa tanto ter algo!!! Trocar toda a hora de celular, computador, trocar o armário todo o mês, ter todas as maquiagens possíveis, ter todos os lançamentos. Calma, muita calma!

Pense primeiro: realmente preciso daquilo? Realmente usarei? O valor compensa a quantidade de vezes que farei uso? Estou comprando por impulso ou porque realmente gostei? Poderei usar daqui a um ano?

Gente, não pensem que eu não consumo. Consumo sim, mas sou um pouco mais racional nas minhas compras. E ainda assim tenho algumas coisas que me pergunto onde raios eu estava com a cabeça!!!???? Mas na maior parte das vezes, realmente me pergunto se necessito tanto assim comprar. Também é importante dar valor a certas coisas. Mas dar o valor certo para elas, como por ex. comprar mil camisetas baratinhas e depois de um mês ter que colocar fora, pq estão estragadas. Ou comprar mil copos baratinhos e em pouco tempo todos quebrarem. Não seria melhor comprar algo bom, pagando o valor real do produto e fazer um uso consideravelmente longo para ele?

Dê valor ao seu redor, dê valor à natureza, ao ar que respira, à água que bebe todos os dias, dê valor ao seu consumo, dê valor à vida que nos cerca! Consuma mais consciente, pense melhor, seja mais racional. E juro que não só a natureza agradece, como seu bolso também! Consumir consciente é ser sustentável!

Em sintonia com a natureza

11/12/2009 § Deixe um comentário

Tenho essas imagens a quase cinco anos. Lembro de ter visto a primeira vez e ficado maravilhada como conseguiram fazer uma casa estar tão em sintonia com a natureza. O pessoal levou em conta o terreno e a localização e interferiu o mínimo possível (ahhh, e esse deck hein???).

Meus pais até hoje não entendem como gosto tanto de uma calmaria, de ouvir o canto dos pássaros e não ter saudades do lado urbano de uma cidade. Pois realmente acho importante esse equilíbrio do homem com a natureza, em tudo o que essa troca pode dar frutos. E dos bons…

Notaram o chão? Compensado! Sim, colocaram verniz ou tinta esmalte se não me engano como acabamento. Não tenho o link, mas peguei certamente no site da Arquitetura e Construção.

Super inspiração para uma manhã de sexta!

Xiitas parte 2

12/05/2009 § Deixe um comentário

Continuando o post sobre xiitas, ideias extremistas, etc.

DSC02257-pola

Aprendendo a não ser extremista… alguns pontos importantes. Já fui bastante, principalmente se falando em meio ambiente. Trabalhei durante algum tempo na Fundação Zoobotânica do RS, ou seja, tinha contato direto com diversos pesquisadores da área ambiental. Eu era super radical, tinha ideias bem fortes e impactantes, seguia a linha do que ouvia. Estudava bastante sobre isso, participava das palestras. Bom, depois de alguns anos vi que não adiantava de nada ser tão radical. Por que? Porque sendo radical, tu não consegue com certeza mudar algo.

Picture 066-pola

Se falando de meio ambiente, ainda existem muitos mitos, muitas culturas antiguíssimas que não deixam muitas pessoas entenderem e trabalharem a favor da natureza. Devemos surpreender as pessoas. Devemos aos poucos trazer a informação e, sendo radical, as informações são tantas, que muitas vezes batem de frente com muito do que muitos acreditavam até então.

Um dia, andando na praia, vi que nem ali as pessoas tem uma mínima noção que existe vida além deles mesmos. A sujeira é infinita, a falta de preocupação é incrível. Mas chegando nas pessoas e impondo mil regras, não vai dar certo. Somente aos poucos conseguimos levar a informação para o cara ou para a família do cara.

Realmente é complicado ver as pessoas lavando suas calçadas, sujando praias, jogando lixo para fora do carro (quando não te acerta!), molhando a grama ao meio dia (não faça isso, queima a grama no dia de sol), sendo estúpidas no trânsito, não separando o lixo enquanto muitas cidades recolhem o lixo reciclável, enfim, simplesmente não fazendo sua parte. E a natureza é sábia meu amigo, muiiito sábia, acredite.

DSC02263-pola

Então. Ser radical, não vai adiantar de nada. Mas, cada dia, com um passo novo, se chega lá.

Bom dia galera. E aqui vai cai A chuva, para melhorar a situação de super seca. É… a poluição tem dessas coisas.

Fotos: nossas.. da praia, numa saída de campo e na freeway. Parece hoje.

Natureza Curiosa

03/05/2009 § Deixe um comentário

2_1189054_461

Right Whale. Brian Skerry, ganhador da competição Fotógrafo do Ano em 2008 na categoria Underwater World em missão para National Geographic Magazine às Ilhas Auckland na Nova Zelândia. Anunciado em 30 de Outubro de 2008. Detalhe da foto: quem está de frente para a baleia franca (são extremamente curiosas) é o assistente do fotógrafo.

Como podemos pensar que somos mais poderosos que esses animais? Como podemos destruir a natureza, onde vivem estes animais e outros tantos? O ser humano é muito presunçoso ao achar que é mais forte que a natureza. Ela sempre dá a resposta, pena que muitos não enxerguem com tanta clareza o que ela tem para falar.

É isso aí, o ser humano precisa estar em equilíbrio com tudo ao ser redor. Vale o toque.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Natureza em .