Dez formas de curtir (Número 02)

03/02/2012 § 1 comentário

Sequência do post Dez formas de curtir (Número 01) sobre uma reportagem li no site da Revista Casa e Jardim e que vale muito a pena. O texto abaixo de todas as imagens é da designer holandesa Lidewij Edelkoort para a Revista Casa e Jardim, que estuda comportamento de consumo em vários países. Todas as fotos são pessoais, feitas por mim e pelo João, a maior parte da nossa casa.

“Talvez você já tenha presenciado a cena de um reencontro de pessoas queridas em um aeroporto e, mesmo sem conhecer os envolvidos, tomado aquela alegria como sua. A explicação para esse sentimento: você faz parte da grande família dos homens. Cada vez que um idoso segurar um bebê no colo ou você tocar a barriga de uma mulher grávida, ou que a mão calejada de um homem segurar delicadamente a de um menino, você vai fixar essa cena em sua mente. Pense na sua família, nos seus amigos, na necessidade que cada ser carrega de trocar experiências e de entrar em contato. Não negligencie a conexão íntima, rústica, que não passa pela palavra. Valorize a simplicidade da amizade entre todos os espíritos – até mesmo com seu cachorro, com um gatinho de rua. Apaixone-se pelo ciclo da vida e compartilhe com o outro a essência desse modo de viver. ”

Foto: esse click foi feito faz algum tempo, após uma viagem nossa para o Rio de Janeiro (por isso estamos mais coradinhos), em um inverno muito frio em Caxias do Sul. Amigos realmente fazem parte e são essenciais para a nossa vida, tanto que são nossa família. Família que a gente escolhe e não vive sem. Nossa família é bem grande, de sangue, escolhidos, caninos, etc. Uma lição muito bacana sempre é pensar que estamos todos relacionados, por isso todos seres vivos fazem parte do mesmo espaço e devem ser tratados com muito amor e educação.

Dez formas de curtir (Número 01)

02/02/2012 § 9 Comentários

Faz algum tempo que li no site da Revista Casa e Jardim uma reportagem que vale muito a pena. Muito mesmo. Tanto que a partir deste post, farei mais outros nove falando da reportagem. Tudo inicia a partir do ponto que queremos ser mais felizes, conviver bem com o nosso cotidiano. Quando comecei a ler o título “10 segredos para ter uma casa feliz”, achei que seria mais daquelas dicas clássicas, com conceitos e textos já batidos em todas as mídias. Me surpreendeu pelo seu texto. Algo fora do comum, mas dentro daquilo que acreditamos. O texto abaixo de todas as imagens é da designer holandesa Lidewij Edelkoort para a Revista Casa e Jardim, ela estuda comportamento de consumo em vários países. Serão no total dez posts, cada um com um “segredo” não somente a casa mais feliz, mas para uma valorizarmos o simples da nossa vida. Todas as fotos são pessoais, feitas por mim e pelo João, a maior parte da nossa casa.

“A janela é um espaço privilegiado da casa. Ela emoldura a paisagem e funciona como uma ponte entre o que está dentro e o que está fora. Ela convida a sair e traz para a casa um pedaço do resto do mundo. Quando pensar em cortinas, não queira isolamento. Modelos pesados – como os de veludo vermelho do teatro – só são bem-vindos como um jeito inteligente de dividir ambientes, no interior da casa. Nas janelas, cortinas são cúmplices da luz, não seus algozes. Devem ser de fibra natural, para balançarem ao vento, como o vestido de uma criança correndo pelo corredor, depois de um banho fresco no meio de uma tarde de verão. A luz não é um detalhe: ela é a vida por completo. Deixe o sol da manhã acordá-lo, tocando de leve a sua pele. Sinta no seu corpo a alegria de estar vivo.”

Foto: nosso quarto, com a luz que invade todas as manhãs pela persiana de bambu. Como sempre quis ter esse tipo de persiana, esqueci do detalhe que conseguimos ver de tudo quando a luz é a maior do lado de fora. O oposto também acontece, à noite podemos ver de fora para dentro da casa. Esse detalhe já me incomodou, hoje em dia acho ótimo. Muita energia boa para dentro da nossa vida. A pequena na foto é a Terra, que invadiu a imagem no último momento dos clicks.

A felicidade é possível

18/10/2011 § Deixe um comentário

Então, depois deste post sobre as Piriguetes abaixo e de devaneios com a Ké, cheguei a uma conclusão estranha, mas bem honesta! Estou focando muito no lado negro da vida! Acho que é isso… se eu for ver bem profundamente, nós como sociedade estamos bem  melhores que há 100 anos. Hoje em dia nunca se cuidou tanto dos filhos. Sim, durante bons anos os filhos foram considerados mão de obra. Muitos pais não permitiam que seus filhos estudassem para ajudarem na lida, seja ela qual fosse. Ou no caso das mulheres, peguem os últimos 40 anos, era um horror, pois as mulheres não tinham voz ativa e viviam “castradas” de todos os prazeres e principalmente, da liberdade de escolha! Sem falar que a uns 200-300 anos as pessoas se matavam por muuuuuito menos!

Então, o quê mudou? Por que eu sou tão pessimista? Tão crítico? Primeiro, porque eu tenho um Q para ser chato! hahaha… Sério, é que a informação chega como a velocidade da luz e em grande quantidade! Desenvolvemos mecanismos e estudos elaborados sobre o modelos preditivos do nosso caminho e da nossa mente. Aprendemos muito sobre nós mesmos, descobrimos os podres das grandes corporações e sabemos que o nosso caminho pode não ser o mais bonito se continuarmos com algumas manias. Ou seja, deixamos de ser ignorantes e já podemos prever com uma certa confiança como será a nossa casa no futuro.

E é aí que a porca torce o rabo!!! Temos informação suficiente para saber que somos manipulados o tempo inteiro, que as pessoas estão tristes por causa da supervalorização do dinheiro, da futilidade exagerada, do desmatamento,  das mazelas dos nossos governantes, da apatia do povo, do tratamento doentio aos próprios humanos e animais.  Sabemos muita coisa e não temos o tempo suficiente para digerir essa informação toda! Não consigo focar no que realmente importa para a minha vida. Não estou conseguindo separar o joio do trigo, sabe, e isso me deixa irritado, pois perco tempo com coisas que estão muito aquém das minhas capacidades! Acho que isso acontece com muito de vcs, né?!

Do ponto de vista animal somos uma espécie muito bem sucedida por tudo que conseguimos fazer! E é tão incrível, que aparentemente somos os únicos animais que conseguem prever as condições ambientais no futuro, fazer planos a longo prazo, em fim, sabemos que se continuarmos nesse ritmo, o nosso futuro será o mesmo daquelas outras tantas espécies que se extinguiram durante esses 560 milhões de anos (período que surge grande número de animais e que dão origem aos nossos ancestrais)!

Então, o que fazer? Acho que eu focarei nas partes boas, mas nem por isso ficarei alienado das tramóias do sistema! Acho que ser honesto, trabalhar bem, não desejar o mal aos outros, ajudar instituições de caridade (seja de pessoas ou de animais) é o suficiente para uma vida!

A dica que fica é cultivar amigos e aceitar os erros dos outros! E sempre, na medida do possível, dar um bom exemplo de civismo aqueles que estão ao nosso redor, assim nos tornaremos uma espécie bem viável de perdurar durante milênios!

Amar o que faz

12/10/2011 § 2 Comentários

Com o tempo a gente vai aprendendo como o que fazemos diariamente pode influenciar totalmente nossa vida. Quando vi esta imagem, logo lembrei de diversos amigos meus que trabalham somente por dinheiro, vivem estressados, ficam contando os dias (mesmo quando são 100 dias) para as férias, pois somente ali são felizes. Ou pessoas que vivem relacionamentos somente por ter, para não ficarem sozinhos. Já vi bem de pertinho tudo isso e nossa, é tão frustante ver e as pessoas sofrendo pra caramba. Por isso que sempre me pergunto se eu amo o que eu faço e vice versa. A vida tem que ser vivida intensamente, curtindo todos os dias, amando mesmo.

Claro, mesmo com o trabalho corrido, odiando alguns momentos do meu dele (cara, nada é perfeito), eu curto muito o que faço e sempre procuro me especializar mais e mais no que gosto, procuro intensamente o prazer no meu trabalho, nas minhas viagens, no meu casamento, no meu dia-a-dia, nas mínimas coisas. Também lembro muito de algo que li em um livro bem específico: dinheiro é um meio, não um fim. Grande sacada.

Ame o que faz. Faça o que ama de verdade. Em tudo, no trabalho, em relacionamentos, na vida! É o que vale, no fim.

Falando de mudança…

10/12/2009 § 1 comentário

Gente, mudança é uma coisa boa. Mas só quando tudo já está no lugar! eheheheheh.

Nós fizemos um tipo de mudança com baixos custos… sabe como é né…?! Então começamos com um mês de antecedência a ver tudo o que envolvia toda nossa transferência. Não é fácil gente. Empacotar tudo sozinho, ver caixas, plástico bolha, jornais, trocas de endereço, ver todos os serviços disponíveis onde vai se morar, onde se vai morar,  caminhão de mudança, amigos para ajudar na mudança, entregar apartamento para imobiliária, limpar o apartamento (né Álvaro??), fechar contas de luz, internet, telefone, nossa. Realmente o melhor é estar em férias.

Mas não foi o caso da Ké aqui, muito menos do João. Fazendo cursos, entregando projetos, trabalhando normalmente, tendo três dogs loucos em casa, não é fácil. E no meio disso tudo, encontramos o seu Valdir. É o cara do transporte de toda nossa mudança, fez um preço bacana e foi super atencioso com a gente. Ele adora fazer mudanças entre cidades. Vou deixar o cel dele, pq é garantido e é difícil de achar trabalho bom. O cel dele é 51 9233.5875. Quem estiver fazendo mudança em Porto Alegre e vai para outra localidade, fala com ele. Gente fina e engraçadíssimo.

As caixas conseguimos com o pessoal das rações dos dogs. Bah, caixas tri boas e enormes, sem elas, não faríamos a mudança tão perfeita. Sim, pq nada, NADA quebrou, nada trincou. Agradeço ao Alex da clínica Pio X que forneceu as caixas, baita mão na roda! Lá em Caxias também comprei uma bobina de plástico bolha que foi tri útil, principalmente nos quadros (sem nenhum arranhão gente, fiquei orgulhosa disso) e espelhos.

Tudo isso pra dizer que não sei de onde tiramos tanta força pra fazer tudo. Vivemos em um caos por algum tempo. Quando cheguei aqui (pude viajar somente uns 4, 5 dias depois da mudança), eram só caixas por tudo. Os guris (John e Gustavo) estavam tri cansados e já haviam organizado as piores coisas como: montar armário, carrinhos e colocado as caixas e móveis no seu devido lugar.

Em dois dias, eu e John conseguimos arrumar a casa. 90% das coisas estavam já na parede, na estante, etc. É a vontade de ter uma vida melhor, realmente. Hoje estou hiper orgulhosa da nossa força de vontade. Estou muito feliz e gostaria de que todos os que nos conhecem soubessem disso. Até quem não nos conhece, sentisse a energia boa que está no ar.

Aqui é uma imagem do durante. Durante o encaixotamento lá em Porto Alegre. O caos formado.

E após o caos, saber que da minha janela do escritório, vou ter essa vista (foto abaixo), não tem preço, realmente.

Daí eu sei de onde a gente tira forças! Valeu natureza!

PS: em um dia, durante todo nosso processo, vimos o filme revolutionary road (apenas um sonho). Lembro de ter medo de não conseguir vir para cá. Lembro que pensei: essa é a melhor hora. A hora é agora. Por isso, cara, não deixe mesmo ser apenas um sonho. Tornar realidade é o grande prazer da vida.

Good vibes. Energia 100% boa

24/09/2009 § Deixe um comentário

almofadas

Música de fundo: The Police. Good vibes, good vibes.

Hoje estou mais filosófica que nunca.

Ontem tivemos uma longa conversa aqui em casa. Longa, que pode durar muitos dias. Ainda não acabou. Coisas da vida, mudanças, o que se quer, o que não se quer. Limpeza total. Espiritual e física. Coloquei  muita coisa fora. No sentido duplo mesmo. Sacos e sacos. Reorganização de móveis, de livros, prateleiras, potes, ideais, filosofias, espírito.

Nada como organizar tudo. Escrever bem grande em um mural o que queremos. Já sei tudo que vai no mural. Só falta ele.

Lembrei de uma matéria na Super Interessante de algum mês por aí sobre a felicidade. Na realidade o João hoje de manhã, antes de sair, me lembrou. Quando estamos infelizes, precisamos colocar nossa energia para mudar isto, para fazermos a diferença, transformar uma insatisfação ruim em algo muito bom. Tem gente que não transforma essa energia e fica deprimido. Como não sou de ficar deprimida, vou mudando tudo ao meu redor, transformando e assim vai.

Isso vai desde ideais até coisas. Não curtiu? Muda. Ninguém é obrigado a fazer algo, ter algo, sentir algo que não quer. Mas tem que ter força para mudar. De vez em quando só uma força para mudar um móvel de lugar, outras vezes muita força para mudar o seu mundo. Pense nisso.

Imagem? Tenho faz tempo. Não sei de onde tirei. Quem souber, me avisa. Paz e amor para vocês.

A vida não é photoshop

02/07/2009 § Deixe um comentário

bucket2

Falamos muito sobre a época das propagandas de margarina. Vende-se a ideia que a vida é um mar de rosas, só coisas boas acontecem e ninguém briga. Mas a vida não é assim, e não é por causa disso que a vida é ruim. É ótima, mas devemos saber o que existe ao nosso redor. Muita gente fica infeliz, depressiva, começa a tomar remédios mil devido essa insatisfação, pois acha a sua vida um m… Peraí. Veja bem. Pois os conflitos existem, problemas acontecem, brigas também (afinal somos zilhões de corpos pensantes com ideias diferentes, culturas diferentes) e não é por causa disso que irás parar tua vida, ao contrário, devemos pensar que existem desafios a serem vencidos. E com calma, paciência, chegamos ao nosso sucesso. Sempre acreditei nisso e não mudarei.

Nisso tudo vemos a insatisfação das pessoas com seu corpo. Revistas vendem corpos perfeitos, cheios de photoshop, plástica, botox. E quem está insatisfeito fica deprimido de ver tal perfeição, pensam como não são daquela maneira. Aí mora o grande problema!!!!!!! A insatisfação maior vem de imagens que não são reais, são totalmente manipuladas e é por isso que sou contra photoshop usado do jeito que está hoje. Quantas pessoas vivem tristes consigo mesmo, devido algo que nem existe!????

O que a Cassandra falou no comentário do post Beleza, tem certeza?, concordamos, em gênero, número e grau. Somos do movimento vida saudável. Existe alimentação adequada para todos e super gostosa, exercícios físicos (faz bem pro corpo, mas principalmente, para a alma), cremes, makes (não sou contra maquiagem não, imagine, é para embelezar, se gostar). Isso é se gostar. Mas, aos 20 anos, fazer plástica, colocar botox… só acredito em casos extremos. Simmmm, imaginem mais tarde, o que vai ser desse corpo? Até mais tarde, tem que pensar muito gente, não é bem assim uma intervenção cirúrgica. Tem mil implicações no corpo!

Está na hora das pessoas pensarem um pouquinho mais no futuro, não serem tão imediatistas. Sim, dá para emagrecer com alimentação adequada, não passar fome (imaginem, não concordo com isso de passar fome) e fazer exercício. Só que tem que ter PACIÊNCIA. E a vida é perfeita, cheia de desafios. Mas não somos felizes o tempo inteiro, senão não saberíamos o que é felicidade.

Se cuidando, começamos a nos curtir mais e mais. E lembre-se: Viva a diversificação. Cada um é um. Não queira ser igual à ninguém, seja você mesmo e mostre isso! Mostre que se ama acima de tudo! Isso sim é que faz a diferença!

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com felicidade em .