Dez formas de curtir (Número 02)

03/02/2012 § 1 comentário

Sequência do post Dez formas de curtir (Número 01) sobre uma reportagem li no site da Revista Casa e Jardim e que vale muito a pena. O texto abaixo de todas as imagens é da designer holandesa Lidewij Edelkoort para a Revista Casa e Jardim, que estuda comportamento de consumo em vários países. Todas as fotos são pessoais, feitas por mim e pelo João, a maior parte da nossa casa.

“Talvez você já tenha presenciado a cena de um reencontro de pessoas queridas em um aeroporto e, mesmo sem conhecer os envolvidos, tomado aquela alegria como sua. A explicação para esse sentimento: você faz parte da grande família dos homens. Cada vez que um idoso segurar um bebê no colo ou você tocar a barriga de uma mulher grávida, ou que a mão calejada de um homem segurar delicadamente a de um menino, você vai fixar essa cena em sua mente. Pense na sua família, nos seus amigos, na necessidade que cada ser carrega de trocar experiências e de entrar em contato. Não negligencie a conexão íntima, rústica, que não passa pela palavra. Valorize a simplicidade da amizade entre todos os espíritos – até mesmo com seu cachorro, com um gatinho de rua. Apaixone-se pelo ciclo da vida e compartilhe com o outro a essência desse modo de viver. ”

Foto: esse click foi feito faz algum tempo, após uma viagem nossa para o Rio de Janeiro (por isso estamos mais coradinhos), em um inverno muito frio em Caxias do Sul. Amigos realmente fazem parte e são essenciais para a nossa vida, tanto que são nossa família. Família que a gente escolhe e não vive sem. Nossa família é bem grande, de sangue, escolhidos, caninos, etc. Uma lição muito bacana sempre é pensar que estamos todos relacionados, por isso todos seres vivos fazem parte do mesmo espaço e devem ser tratados com muito amor e educação.

Dez formas de curtir (Número 01)

02/02/2012 § 9 Comentários

Faz algum tempo que li no site da Revista Casa e Jardim uma reportagem que vale muito a pena. Muito mesmo. Tanto que a partir deste post, farei mais outros nove falando da reportagem. Tudo inicia a partir do ponto que queremos ser mais felizes, conviver bem com o nosso cotidiano. Quando comecei a ler o título “10 segredos para ter uma casa feliz”, achei que seria mais daquelas dicas clássicas, com conceitos e textos já batidos em todas as mídias. Me surpreendeu pelo seu texto. Algo fora do comum, mas dentro daquilo que acreditamos. O texto abaixo de todas as imagens é da designer holandesa Lidewij Edelkoort para a Revista Casa e Jardim, ela estuda comportamento de consumo em vários países. Serão no total dez posts, cada um com um “segredo” não somente a casa mais feliz, mas para uma valorizarmos o simples da nossa vida. Todas as fotos são pessoais, feitas por mim e pelo João, a maior parte da nossa casa.

“A janela é um espaço privilegiado da casa. Ela emoldura a paisagem e funciona como uma ponte entre o que está dentro e o que está fora. Ela convida a sair e traz para a casa um pedaço do resto do mundo. Quando pensar em cortinas, não queira isolamento. Modelos pesados – como os de veludo vermelho do teatro – só são bem-vindos como um jeito inteligente de dividir ambientes, no interior da casa. Nas janelas, cortinas são cúmplices da luz, não seus algozes. Devem ser de fibra natural, para balançarem ao vento, como o vestido de uma criança correndo pelo corredor, depois de um banho fresco no meio de uma tarde de verão. A luz não é um detalhe: ela é a vida por completo. Deixe o sol da manhã acordá-lo, tocando de leve a sua pele. Sinta no seu corpo a alegria de estar vivo.”

Foto: nosso quarto, com a luz que invade todas as manhãs pela persiana de bambu. Como sempre quis ter esse tipo de persiana, esqueci do detalhe que conseguimos ver de tudo quando a luz é a maior do lado de fora. O oposto também acontece, à noite podemos ver de fora para dentro da casa. Esse detalhe já me incomodou, hoje em dia acho ótimo. Muita energia boa para dentro da nossa vida. A pequena na foto é a Terra, que invadiu a imagem no último momento dos clicks.

O que se passa na TV dessa casa

02/12/2011 § 6 Comentários

Podemos não ver televisão, mas somos bem viciados nos nossos seriados e filmes. E cada vez mais vamos atrás de seriados novos, alguns não são mesmo do nosso estilo, outros não achamos bons, até encontrar os bacaninhas, do nosso ponto de vista, é claro. Nessas pesquisas achei o seriado Bored to Death, uma comédia sutil misturando a vida das letras, com a fantasia e a arte. Boa parte se passa no Brooklyn, NY, na história de um escritor que está perdidaço e começa a trabalhar como detetive. Bem no início não parece tão bom, mas logo que pega no tranco o seriado fica irresistível. Adorei!

Já o seriado New Girl eu tinha lido que não era bom, que era bobinho, etc. Bom. Fui atrás e curti muito. Essa mistura de estilos me inspira muito, uma menina diferente morando com três guris ainda mais diferentes entre si. E eu curto a Zooey Deschanel e curto muito She & Him, então… E o CSI NY? Galerinha, curto muito filmes/seriados/livros policiais e todo seu mundo, do mais obscuro ao mais canastrão, assim como também adoro o CSI Las Vegas (mas não gosto tanto do CSI Miami não…). Não tinha visto um episódio de CSI NY até mês passado. E eu gostei tanto que se tornou um vício e só parei de assistir quando tinha visto todas as temporadas até o presente!

Alguns filmes para ver na semana

28/11/2011 § Deixe um comentário

A Single Man (Direito de Amar), do estilista Tom Ford. Este filme estava na minha lista desde ano passado e nunca acabava vendo. Que desperdício de tempo o meu! O filme é maravilhoso, sua época, enredo, cores, atores e figurino são impecáveis. Um dos meus filmes favoritos que vi neste ano. Depois de toques suaves, o tiro no peito de The Killer Inside Me (O Assassino em mim). Tudo se passa em uma pequena cidade do Texas com um xerife no mínimo sociopata. O terceiro filme já vi faz algum tempo, mas não poderia deixar de colocar aqui, já que nada nele é suave: Blue Valentine (Namorados para sempre). Não se engane com o nome em português, pois o filme não é bonzinho, muito menos mostra o amor que se passa no título. É minha gente, nem tudo são flores em relacionamentos.

Bom início de semana.

Aula de Reciclagem

16/06/2009 § Deixe um comentário

No site casa.com.br achei uma matéria sobre reciclagem. Se você ainda tem alguma dúvida, vou colocar aqui tópicos sobre reciclagem. Caso queira saber mais, entra aqui.

Que tal uma reflexão rápida: você saberia dizer quantos materiais já jogou no lixo hoje? Do início ao fim do dia, nosso ir e vir vai deixando rastros para trás: embalagens de biscoitos, de produtos de higiene, copinhos de café, sacolas plásticas, restos de alimentos, papéis e tantos outros vestígios que até perdemos a conta. Calcula-se que uma pessoa produza, em média, 1,5 kg de resíduos por dia. Todo esse peso – muito maior hoje do que algumas décadas atrás – destrói o meio ambiente e recai sobre a economia do planeta, condenada a destinar cada vez mais recursos para medidas que são apenas paliativas, uma vez que a solução definitiva está longe de aparecer.

Lição 1: Controle o impulso consumista (veja o video A HISTÓRIA DAS COISAS)

Lição 2: Reduza a sua produção de lixo. Dicas básicas do Instituto Akatu: Não compre nada por impulso para não desperdiçar; pense antes de imprimir e aproveite os dois lados do papel sulfite; tenha sempre na bolsa uma sacola reutilizável para carregar pequenas compras e reduza, assim, o uso de sacolas plásticas; se sua família é grande, opte por embalagens maiores de alimentos; prefira sempre as embalagens retornáveis, como as garrafas de refrigerante de vidro, e os produtos com refil; nas compras, prefira produtos a granel e evite bens superembalados, como biscoitos que vêm em saquinhos pequenos dentro de outro saco plástico maior; leve para o trabalho uma caneca para tomar água e café e esqueça os copos plásticos.

Lição 3: Reaproveite antes de descartar

Lição 4: Separe o lixo reciclável do orgânico

Lição 5: Lixo orgânico pode virar adubo

Lição 6: Posso jogar o óleo usado de cozinha na pia? Se for descartar, armazene num recipiente e doe a entidades que reciclam o óleo para fabricar sabão e biocombustíveis.

Lição 7: Troquei o computador. E agora? Anualmente, o descarte de computadores gera 50 milhões de toneladas de lixo potencialmente tóxico, já que contém metais pesados. Antes de jogar fora seu PC, tente doar a alguém que poderá fazer uso dele.

Lição 8: O que faço com as lâmpadas fluorescentes? Lâmpadas incandescentes não oferecem riscos ambientais e devem ser descartadas com o lixo comum. Já as fluorescentes, que contêm mercúrio, merecem um tratamento mais cuidadoso. Algumas empresas desenvolveram tecnologia para a descontaminação e reciclagem do produto, mas poucas cidades têm acesso a esses serviços. Por isso, o melhor a fazer é embalar a lâmpada num saco plástico e colocá-la no lixo orgânico.

Lição 9: Prefira as pilhas recicláveis

Lição 10: Isopor é reciclável e deve ser separado com os plásticos

Lição 11: Sobrou tinta na obra. O que faço? Latas com restos de tintas, vernizes, impermeabilizantes e outros materiais de construção podem conter substâncias tóxicas e, por isso, não são recicláveis nem devem ser destinadas à coleta municipal de lixo. Se estiver construindo ou reformando sua casa, separe as sobras desses materiais para os caçambeiros, que levam entulho de construção civil para aterros de inertes, apropriados para receber esse tipo de produto. Consulte na prefeitura de sua cidade a lista de empresas habilitadas.

Lição 12: Nem tudo se recicla No grupo dos papéis, não é possível reciclar celofane, fotografias, fitas e etiquetas adesivas, papel-carbono, papel vegetal, papel para fax e papéis encerados ou plastificados, além de papel higiênico, guardanapo e papéis muito engordurados. Plásticos: as embalagens plásticas metalizadas (de salgadinhos e biscoitos) e os plásticos chamados termofixos, usados na fabricação de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos. Espelhos, cristais, tubos de TV e de computadores, ampolas de medicamentos, cerâmicas e porcelanas também não retornam ao ciclo produtivo. O mesmo acontece com os vidros de janelas e de automóveis, embora eles possam ser doados ou até vendidos para lojas que revendem material de demolição para a construção civil. Metais: esponjas de aço, tachinhas, clipes, grampos, pregos e canos.

Lição 13: Organize a coleta no condomínio.

Apartamentos Enlatados

04/06/2009 § Deixe um comentário

dicasGente, moramos em um apartamento com 40 m2. Pequeníssimo. Com o tempo (já faz 6 anos que moro aqui, o João 5), tive que estudar bastante o local, trocar mil coisas de lugar, tudo para encaixar (realmente encaixar, pois tudo é milimetricamente calculado) o que temos por aqui.

Com isso, me acho um pouco apta a contar o que tirei de conclusões de apartamentos ou lugares pequenos. Até porque nosso apartamento é algo sensacional… a sacada á maior que o banheiro… sim, acreditem!

Então, lá vão dicas de Kelly Marie para vocês. Se quiserem acrescentar algo, vão dizendo que vou editando!!!

1. Sim, a máxima é válida. Quanto menos paredes, melhor. Tínhamos uma divisória de escritório dividindo o quarto da sala (que coisa horrível). Tiramos e deixamos a área muito mais clara (só temos um janelão no quarto e nada de janelas na sala), muito maior e assim pudemos ver que o quarto não precisava ser tão grande, nem a sala. No meio disso tudo, tenho minha escrivaninha e colocamos um armário que vai até o teto. Ele invade o quarto, meu escritório e a sala.

2. Cozinha: se não tiver uma super coifa, não tenha nada em prateleiras, sem portas. Claro, se tu não cozinha, esqueça isso. Mas aqui o João cozinha muito (eu digo o João, já que não tenho menor vocação ou paciência) e sem coifa, tudo fica muito sujo. Muiiiito sujo. Mesmo.  Armários são hiper necessários.

ap

Imagem acima: esse é um exemplo típico. Adoro essa cozinha. Mas é impossível limpar a sujeira que fica. Acreditem.

3. Carpetes. Nãaaaaao. Olha, esse apartamento não é nosso. Então não posso tirar o carpete. Mas, se tu tiveres a oportunidade de tirar, nem pense duas vezes. Suja pra caramba, o aspirador não consegue tirar toda a sujeira. E quem tem rinite???? Ah, meu filho, te benze. É realmente ruim. E hoje com mil novidades em laminado, a diferença de valores nem fica tão grande.

4. Cores. Gente, essa de que cores diminuem o espaço… hum… só concordo em partes. Esses dias mesmo estava lendo sobre isso e dizem que tudo depende do local, da luminosidade. Pintei minhas paredes de beringela e achei muito mais aconchegante, e pasmem… o ap parece maior. Acho que cores fazem a diferença. E voltando ao que disse em alguns posts, não gosto do branco. Suja, pra caramba, o contraste fica meio frio. Gosto de tudo mais aconchegante. E quente.

5. Trocar móveis de lugar. A cômoda não precisa ficar no quarto. Pode ir para a sala. Um armário pode também vir para  a sala. Cadeiras vão para o quarto e assim vai. Nem sempre aquele móvel que temos se encaixa bem em um lugar. Devido à espaços pequenos, a criatividade é a palavra chave. Esqueça as regras. Regras demais são chatas e não deixam a gente ser criativo, ficamos “duros”. Aliás, essa deveria ser a primeira regra: não ter regras. Seguir alguma coisa, ok, mas não se esqueça que a casa é sua.

6. Paredes. Quando não sem tem espaço mais no chão, suba nas paredes. Ehehhehehe. Sério. Prateleiras, móveis até o teto, tudo isso ajuda e muito! Aproveitar o máximo tudo. Brinco que agora tenho que construir um mesanino aqui, pois nem as paredes estão dando conta (exagero, não é tanto… mas quase!). Prateleiras amo. São baratas, faz do tamanho que quer, a cor que quer e coloca-se de tudo nelas (tirando a cozinha, como falei acima).

7. Baús. São tudo. Amo demais. Tenho diversos tamanhos. Um deles é somente para bolsas e mochilas. Outro para fotografias. Outro para bijus. Outro para cds. Gente amo. Mas isso é bem meu. E assim o pó diminui.

Tem mais algumas dicas? Quero fechar pelo menos em 10 aqui gente. Se eu lembrar mais de alguma dica, edito aqui.

Faltou!

26/05/2009 § Deixe um comentário

Gente, faltou um item muito importante na lista de dicas do blog para ter uma vida mais, digamos, sustentável.

lampada_economica

11.ENERGIA ELÉTRICA. LÂMPADAS. Gente, esqueci! Lâmpadas econômicas. Economizam pra caramba a energia. Vale a pena trocar as lâmpadas e sentir a diferença, também no seu bolso. Além disso, utilize mais luz natural, trabalhe em um local com bastante luminosidade, deixe os locais iluminados, utilizando o menos possível de luz artificial. Ah, e quando forem viajar, desliguem alguns eletrodomésticos da tomada, pois alguns, mesmo desligados, utilizam energia para deixarem ou o horário funcionando, ou um ledzinho, como as bolinhas vermelhas. Fique atento, dá pra economizar e muito! Bjjjjjoooo.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com dicas em .