Projetinho Novo

08/08/2016 § Deixe um comentário

Olá pessoal, tudo na paz? Espero que sim!!Mesa#Pés3Seguindo a tendência natural estamos iniciando mais um projetinho com madeiras. Nas fotos podemos ver os futuros pés de uma mesa para o escritório. O tampo da mesa ainda não foi colado, pois está bem frio e o local onde eu trabalho é aberto, então imaginem o frio! Atualmente, eu e a Kelly temos uma mesa para cada um e com modelos diferentes. A dela foi comprada na Tok&Stok e a minha é de madeira reutilizada de muitos cantos diversos. Ambas apresentam profundidades diferentes também, mas mesma largura. Nas casas que moramos anteriormente as mesas ficam uma de frente para outra, agora elas estão lado-a-lado. Assim, essa nova mesa será toda de Pinus e inteiriça!Mesa#Pés2Pelo que aparece na segunda imagem é de dar medo de tanta cola que escorreu! Mas tudo é friamente calculado! Hahaha… Eu tenho visto muitos videos de marceneiros profis e eles não perdoam na cola. Pude comprovar na tabuinha que eu fiz, que depois no acabamento sai todo o excesso de cola e as partes ficam muito bem unidas. Inclusive, ficam mais firmes do que se fossem somente parafusadas! Sim, eu me espanto!! hahaha… Como disse antes, é um novo mundo esse da marcenaria!

Fiquem em paz!

joao_vi

Anúncios

Tomates

03/08/2016 § Deixe um comentário

Tomates#Flor+fruto

Olá pessoal, tudo na paz? Espero que sim… Por aqui, o dia está bem nublado e se preparando para chover. No fim, hoje esquentou um pouquinho, está fazendo agora 16°C. Então, quando sobe a temperatura no inverno aqui no sul, é sinal de chuva! Pois é, e com isso a hortinha está crescendo mais lenta e as nossas pimentas, pimentões e pepinos morreram. Não sabia que eles eram tão frágeis ao frio. Mas os tomates estão indo aos trancos e barrancos.

Quando montamos a horta, uma das frutas que eu queria cultivar era o tomate! Eu sempre achei que fosse uma planta complicada demais, que só cresceria em estufa ou muito bem protegida, mas que nada, ledo engano! Como vocês podem ver na imagem, os tomatinhos floresceram e frutificaram! Porém, lendo sobre como cultivar tomates, li que eles são facilmente atacados por fungos e pior, é verdade.

Depois de colher o frutos, eu semeei e vingaram mais mudinhas, mas elas foram fortemente atacadas por fungos. Tentei leite, mas só piorou. Muitos usam a calda bordalesa como fungicida, mas eu não estava muito animado em comprar sulfato de cobre e cal virgem. Não que seja químico, mas não estava com vontade mesmo. Pesquisei mais um pouco na internet e achei uma receita de chá de camomila. Nossa, tem funcionado bem direitinho!! Passo com mais frequência do que dizem e está funcionando muito bem. A segunda remessa de tomates está crescendo! Um pouco mais lento por causa do frio, mas estão vindo. Plantei no solo mais ou menos 20 mudas e apenas uma morreu até agora. Estamos com mais umas 30 mudinhas crescendo no berçário (sementeira), mas estas eu farei diferente, eu montarei umas floreiras com Pinus que recuperamos em terrenos baldios, restos de obras. Queremos mostrar que podemos ter horta e tomates em qualquer espaço! Acho importantíssimo incentivar ao plantio daquilo que comemos. Nem que seja por pouco tempo, mas já ajuda, principalmente a reduzir o número de plantas com agrotóxicos. Fora que é uma delícia mexer na terra e ver a plantinha crescendo! Vamos viver o movimento do slow food!!

Tomates#Muda

Fiquem em paz!

joao_vi

 

Interações, elas são importantes

02/08/2016 § Deixe um comentário

Ola pessoal, tudo me paz? Hoje farei uma aulinha de ciências com um dos temas que eu mais adoro, interações!!

Na natureza, temos a tendência de achar que tudo é guerra, onde tudo se resumo a presa versus predador, mas não é!? Mas a grande maioria das interações são benéficas, onde os indivíduos que interagem entre um e outro recebem benefícios. Mas como assim?! É simples, as interações podem ter benefício aos ambos envolvidos, podendo ser uma união para sempre ou momentâneas. Os exemplos podem ser extremos, desde as bactérias que vivem associadas em nosso intestino, cuidando da nossa digestão e absorção dos nutrientes (por isso antibiótico pode ser um verdadeiro veneno para nós, mas isso é um assunto para mais adiante), desde os famosos corais recifais que vivem em simbiose com minúsculas algas e associações como as das duas fotos.Surgeon + CleanerImagem 1: Cirurgião Azul e Elacatinus figaro (Amarelinho com preto) – Foto feita no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos

Nesta imagem 1 podemos ver o peixe azul, chamado de Cirurgião Azul (Acanthurus coeruleus) sendo limpado pelo peixinho menor (Elacatinus figuro). Esse tipo de interação é conhecida como limpeza (cleaning em inglês). É comum com algumas espécies de peixes em estágios juvenis, eles realizam a limpeza nos maiores. Também é comum alguns camarões realizarem limpeza em peixes, inclusive em móreas! Outro exemplo, são os peixinhos que ficam na barriga dos tubarões e arraias, chamados de rêmoras, elas apresentam modificações na cabeça e assim, elas podem ficar ligadas a estes peixes, se alimentando das sobras, mas neste caso, o beneficio é para as rêmoras, já que elas não fazem nada aos tubas e arraias.

Dragmacidon+ParazoanthusImagem 2: Zoantídeo (tentáculos laranjas) vivendo sob a esponja (vermelha). Foto feita na Ilha do Xavier, Florianópolis.

Na imagem 2, temos animais invertebrados (não possuem coluna vertebral como peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos). O bichinho com tentáculos laranjas são conhecidos como zoantídeos e o nome científico dele é Parazoanthus swiifti. Ele está vivendo sob uma esponja-do-mar. O nome dessa esponjinha é Dragmacidon reticulatus.  Nesta associação, o zoantídeo tem benefício, pois busca proteção na esponja, já que as esponjas são conhecidas por terem pouquíssimos predadores, muito por causa dos compostos químicos que elas produzem para se defenderem. Afinal, elas não conseguem correr! Esse tipo de associação é o mais comum no ambiente marinho, já que lugar para a ocorrência dessas espécies sedentárias (animais que ficam fixos em um único ponto, sem que haja locomoção, como as árvores) é um recurso escasso, todos os lugares que existem no fundo do mar, já estão ocupados, então as espécies precisam encontrar uma forma de ocorrerem e se alimentarem, sem que haja uma verdadeira guerra!

Abrolhos#Cliona kicking coral assImagem 3: Esponja (laranja) perfurando de dentro para fora o coral cérebro (Mussismilia brasiliensis). Foto feita no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, Bahia.

Mas claro, também temos interações de competição como a desta imagem 3, onde esta espécie de esponja de um grupo específico (laranja, Cliona delitrix) só ocorre onde têm animais com esqueleto de carbonato de cálcio (muito parecido com o material que formam os nossos ossos), como este coral (Mussismilia braziliensis). A esponja para poder ocorrer nos ambientes, precisa perfurar os corais ou conchas de moluscos. Isso ocorre na fase de larva da esponja. Sim, as esponjas têm uma fase de larva!! Então, a esponjinha vai se desenvolvendo e dissolvendo esse cálcio, tornando-o disponível no ambiente e ajudando outros animais que precisam do cálcio para crescerem. A medida que vai crescendo, ela vai tomando conta do lugar onde estava o coral. Para o coral em si é muito ruim, mas essa liberação do cálcio é importante para o ambiente, então por favor, não vejam com maus olhos. Para que haja equilíbrio no ambiente, é importante que exista um pouco de caos.

Espero que tenham gostado!

Fiquem em paz!

joao_vi

DIY – Tábua

01/08/2016 § Deixe um comentário

Olá pessoal, boa segunda à todos! Na paz?

Tenho escrito direto que estamos em uma nova fase, que estamos trabalhando com madeira e com muitas ideias de faça-você-mesmo. Então, este final de semana resolvemos colocar mais outro projeto em prática. Queríamos fazer uma tábua para colocar os produtos do banheiro, só que eu não queria apenas um pedaço de madeira cortada nas dimensões, eu queria que fosse feita por ripas de madeira, o que eu considero um pouco mais avançado, pois envolve outros produtos e técnicas. OK, pelo menos pra mim, tá?!

Já havia assistido à videos explicando o procedimento de união das ripas, mas nunca tinha me aventurado. Então cortei as ripinhas com mais mais ou menos 3cm na serra circular manual e depois colei tudo. Eu tinha muitas dúvidas, a principal delas era se a cola era boa mesmo e se eu conseguiria deixar tudo certinho. Mas antes de colar, eu dei um acabamento nas ripinhas para que ficassem mais retinhas e unidas possível. Como vcs podem ver na primeira imagem, tava uma nhaca, tudo cheio de cola e sujeira. Deixei 24hs curando e depois de seco, comecei o acabamento. Ainda não tinha a menor ideia de como ficaria. Eu já estava feliz, pois cortei todas as ripas do mesmo tamanho! hahaha…

tábua_nãoprontaNossa, nessa parte o bicho pegou! Eu recém estou trabalhando com madeira, então não sou muito familiarizado com a plaina, nem elétrica e nem manual. Confesso que me estressei bastante! Achei que ficaria uma bosta… entrei no escritório triste com a peça toda torta e cheia de marcas da plaina que não deveriam estar ali. A Kelly me consolou um pouco, dizendo que era apenas um teste. Ok, mas como não me dou por vencido, fui para o Youtube e assisti à um vídeo e fui lá tentar novamente. Eis que a coisa tomou forma e o resultado final me agradou, porém tive que tirar muito mais madeira do que eu gostaria. Ainda assim ficaram algumas marquinhas, mas está 1000x melhor do antes! Afinal, tudo é uma questão de jeito e paciência.

tábua_prontaHoje aprendi mais um pouco até onde eu posso ir com determinado equipamento e que resultado ele me dará! Estava acreditando demais na plaina e de menos da lixa. Agora, eu sei que a lixa consegue me dar um acabamento muito mais eficiente e que a plaina é apenas uma etapa do processo. Para um marceneiro experiente isso pode parecer bobagem, mas para um marinheiro de primeira viagem é uma vitória! Ah, só que no fim, terei que fazer outra tábua, essa ficou estreita demais! hahaha…

Então queridos amiguinhos, não desistam na primeira dificuldade! Sigam em frente! Se tem algo que lhe atrasa a vida, mande à merda quem for e siga em frente! hahaha…

Fiquem em paz!

joao_vi

Receita: Bife de Arroz

29/07/2016 § Deixe um comentário

Bifiinho de Arroz#VI

Olá pessoas desse Brasil. Tudo na paz?

Gente, uma receita fácil e muito gostosa! Pelo menos eu acho! hahaha… Então, sobrou aquele arroz ou fez muito? Ele tem uma serventia muito boa. Como já falei aqui antes, somos vegetarianos, mas comemos ovos (caipira, somente) e tomamos leite (não o de caixinha comum).

Vamos para a receita: eu divido uma xícara de arroz pronto em duas partes: em uma parte desse arroz  acrescento dois ovos, cebola picada, alho picadinho, temperos a gosto (Mr. Daesh Tradicional, pimentas em grãos, um pouquinho do vinagre da minha conserva de pimentas), às vezes coloco tomate desses bem maduros, azeite de oliva e uma ou duas pitadas de sal. Tudo isso pode ser processado ou liquificado. Depois de misturado e um pouco pedaçudo, eu junto com o restante do arroz. Quem for fazer no liquidificador, deve ter um pouco de paciência, pois a mistura fica bem grudenta dependendo se tiver mais arroz, então fique esperto! No processador é bem mais fácil! Misturo tudo e acrescento mais umas três colheres de sopa de aveia (farinha, média ou graúda, tanto faz) ou farinha de mandioca ou farinha de trigo 100% integral. Eu gosto de deixar a mistura bem molhadinha, mas se você quiser mais firme, pode acrescentar mais farinha ou aveia. Apenas fique atento, que quanto mais farinha menos gosto dos temperos. É essa equação que deve ser resolvida. Às vezes eu me passo na farinha e o bifinho não fica tão saboroso quanto eu imaginava.

O bom desta receita é que dá para pirar muito! Colocando couve-flor junto, fica muito gostoso, basta cozinhar a couve-flor e acrescentar junto ao liquidificador/processador! E assim com várias outras verduras…tente!

Espero que gostem!

Fiquem em paz!

joao_vi

Alimento nosso de cada dia…

29/07/2016 § Deixe um comentário

bananas

Bananas da nossa plantação

Olá pessoas queridas! Tudo na paz? Espero que sim!

Lembro quando eu era criança como eu amava chocolates, iogurtes, salgadinhos, biscoitos, bifes de hamburgueres congelados, assim como nuggets! Pois é, apesar de sempre comer muita fruta e salada, mesmo quando criança, eu amava todas essas coisas descritas acima. Bom, puderam perceber que eu não era uma criança magrinha. Alias, longe disso! Hehehe… Puxando um pouco da memória e pelo que a minha mãe e vó falavam, eu adorava tomar mamadeira com farinha láctea da Nestlé.

Bom, os anos se passaram e eu fui fazer biologia na Unisinos e nestes anos que se passaram, fui adquirindo conhecimento. Na faculdade tive várias disciplinas sobre metabolismo humano, bioquímica, biologia celular e molecular. Ou seja, comecei a entender como as células funcionam ou ter uma ideia bem boa. Nessa época, fazia academia há algum tempo e o meu instrutor é um cara fantástico, sabe tudo de metabolismo e como uma pequena esponja do lado dele eu ia perguntando tudo!! E perguntando mais e mais…hoje tenho um bom conhecimento sobre o funcionamento do corpo a ponto de me sentir confortável com o que eu aprendi. Claro, não sou profissional e também não lembro o nome de todas as enzimas e rotas metabólicas, mas sei o suficiente para o consumo próprio! Continuo lendo, mas com menos afinco do que antes.

Quando conheci a Kelly, passei a conhecer outro universo alimentar, pois ela é vegetariana (ovo-lactose) desde criança, então comecei a ler e a me enterar desse universo! Tanto que hoje sou praticamente um vegetariano! Ainda como alguma coisa de carne vermelha, mas frango, porco e derivados não como nada!! Nesse tempo que estamos juntos, 12 aninhos, assistimos à muitos documentários sobre alimentação e sobre a indústria alimentícia. Lemos muitas reportagens sobre o processo de produção e resultados de muitas pesquisas sobre a influência de determinados grupos alimentares e substâncias químicas que são adicionadas aos produtos e o que fazem em nosso corpinho. Resultado: cortamos do nosso cardápio arroz branco, açúcar branco e farinha branca. Como disse antes, sabendo como nosso corpitcho funciona e com o conhecimento gerado por novas pesquisas na área de nutrição, vimos que o açúcar branco, farinha branca e arroz branco, são veneninhos que vão detonando o nosso corpinho aos poucos. Junto de gorduras hidrogenadas e conservantes.

Claro, ainda comemos porcarias, como nós chamamos esses produtos industrializados. Adoramos o Doritos com guacamole, icetea, pão de queijo de saquinho, mas não tomamos refri, nem suco de caixinha! O chocolate só meio amargo para início de conversa. E tu sabes, que hoje, com meus 38 aninhos (não sou mais nenhuma criança), cada vez estou mais feliz com as nossas escolhas e cada vez mais produtivo e criativo. Antes me arrastava pelos cantos e tinha muito mal humor…agora é um pouco de mau humor! hahaha…

O que eu quero dizer é que, é possível irmos trocando algumas coisas pouco saudáveis por outras mais saudáveis. Não estou aqui para cagar regras, apenas para dividir um relato de uma mudança contínua, desde a minha infância até a minha idade adulta! Ou seja, não foi do dia pra noite e sim, um processo contínuo, com alguns recuos, mas sempre em um processo. Então meus amigos, não queiram mudanças drásticas em tão pouco tempo, claro,
a não ser em caso de urgência como uma doença muito grave, fora isso, podemos viver muito bem, sem as porcarias tão valorizadas em nossa cultura. Lembrem-se sempre nossa saúde é o reflexo do que comemos!

Fiquem em paz!

joao_vi

Balneário Bella Torres

27/07/2016 § Deixe um comentário

Nossa Prainha querida!

Ao fundo a Praia de Torres, já no Estado do Rio Grande do Sul. Do lado de cá é Santa Catarina! O litoral, principalmente abaixo de Laguna, ou seja, de Laguna até o extreme sul no Chuí, o litoral é caracterizado por esta planície reta entre o mar e a restinga.

Prainha+Torrica#3

As únicas formações rochosas que tem neste caminho, aparecem ali em Torres. As únicas falésias nessa porção do litoral. De laguna “pra cima” (em direção ao norte do Brasil) a costa é toda recortada com baías que formam enseadas de mares calmos. Claro, no nordeste existem grande extensões sem morros nas praias, mas nada comparado aqui no Sul, onde a única fisionomia é essa, de uma grande reta. Como não existem recifes como quebra mar e nem costões para a existência de baías calmas, o mar é aberto com muito vento e ondas agitadas. Mas nem por isso deixa de ser belo e sim, torna-se uma beleza peculiar, ao qual somos apaixonados! Afinal, em todos esses cenários existe um astro maior, o MAR!

Mar PB

Por isso, quando você jogar qualquer coisa pelo sanitário ou ralo, saiba que o destino final de todos os dejetos, é o mar. Ele se junta ao mar através dos Rios. Os rios vão se unificando até a chagada ao mar, como o sangue que saí dos capilares, passando pelas vênulas e veias do nosso sistema circulatório, onde o destino final do sangue são os pulmões. A água percorre sempre do menor para o maior e o ponto final é o mar! Por isso que excesso de agrotóxicos, poluentes industriais e dejetos das residências influenciam os nossos oceanos e a saúde dos nossos mares.

Fiquem em Paz!

joao_vi