Tenho um cachorro. E agora?

09/06/2015 § 2 Comentários

cachorro_agoraAté os dezessete anos morava com meus pais. Nesses anos todos, sempre tivemos muitos cachorros, das diferentes raças e tamanhos. Mas não quer dizer que eu sabia cuidar 100% deles, já que até essa idade, tinha a base de casa para tais cuidados.

Aos 24 anos, já casada com João, estávamos andando na praia com uns amigos e uma cachorrinha muito bonitinha nos acompanhou da rua até nossa casa. Quando vimos, ela já estava dentro da casa, deitadinha de bolinha, em uma poltrona pequenina. Saímos da casa e fomos conversar, pois se tínhamos a deixado entrar, teríamos que saber o que fazer com essa pequena criatura. Foi ali, sem muita demora, que chegamos a conclusão que deveríamos adotar essa filhotinha de vira-lata. Assim começou um novo capítulo das nossas vidas e não imaginávamos o quanto iria mudar tudo!

Então, pensando no que já passamos, pensei em escrever um post sobre quem nunca teve um cachorrinho e não sabe o que fazer. Depois de adotar cinco cachorros e testar de tudo, vou facilitar com algumas dicas que acho muito importante dividir com todos!

1. Está com um cachorrinho, filhote ou adulto, o que fazer? O que sempre fazemos, em primeiro lugar, é dar um banho com shampoo apropriado para cachorros. Prefiro um shampoo simples, passo duas vezes e depois seco com toalha e secador. No banho, se preferir, coloque antes do banho algodão nas orelhas, para não molhar.

2. Com o cachorrinho limpo, vou a um médico veterinário para analisar a qualidade da saúde, se tem pulgas, carrapatos, se está bem, qual a idade que tem. Esse último para adotados que não conhecemos sua historia. No nosso caso, nunca soubemos o histórico dos nossos cachorros. Na clínica, vemos se está subnutrido ou não, e, se está ok, tomam as vacinas. Anualmente os cachorros tomam duas vacinas, V10 e da raiva. Hoje em dia existem muitos trabalhos mostrando que não necessariamente precisaríamos dar tantas vacinas, mas acabamos sempre dando essas duas para eles e nenhuma mais.

3. Após ter dado um bom banho e ido ao médico veterinário, é bom escolher a forma de alimentação que está disposto a dar para o animal. Existem rações de diversos preços, e, obviamente, diversas qualidades. Nós sempre optamos por ração de ótima qualidade. Se tiver disposto, o melhor seria dar alimentação natural. Infelizmente, tentamos dar para nossos peludos e alguns não se adaptaram ao alimento natural mesmo e tivemos que voltar para a ração. Se tiverem interesse sobre a alimentação natural, no site Cachorro Verde existe toda a informação necessária. É o site mais completo sobre o assunto e vale a pena dar uma lida com calma em todo o conteudo.

4. Seu cachorrinho vai dormir dentro de casa? Então veja uma cama que tenha aberturas para tirar as almofadas internas. Isso facilita 100% a limpeza. Já tivemos todos os tipos de camas e posso garantir que essas com aberturas são as melhores que existem.

4. Quantos banhos dar no peludo? Aqui em casa no máximo uma vez por mês. Com um diferencial, escovamos algumas vezes por semana eles. Com o tempo achamos a melhor escova, no Brasil é mais cara, mas vale muito a pena: Furminator. Com essa escova só é necessário escovar duas vezes por semana cada bichinho, e é incrível a quantidade de pelos e sujeira que sai deles! Se eu tivesse tido desde o início essa escova, nossa, como mudaria nossas vidas! Juro!

5. Diversão? Isso tudo depende do seu cachorrinho, se ele destrói muitas coisas, se tem muita ou pouca energia. A diversão que a maioria mais gosta é passear, com certeza. Aqui em casa temos bolinhas e ossos de nylon (já falei aqui deles), já que limpam os dentes, retiram o tártaro e fazem a alegria deles!

E agora? Dê atenção e carinho. No final das contas, o que eles mais querem é serem amados e amar e terem alimento. Lembrem-se, eles fazem parte da família, sentem sentimentos como humanos (já existem muitos trabalhos científicos comprovando isso). Se não tiverem tempo ou prazer de estar com um animal de estimação, NÃO TENHA.

Seja um tutor responsável, somente adote se tiver certeza que poderás dar uma vida com qualidade para o peludinho!

kelly_vi

Seu cachorro está no peso ideal?

03/11/2011 § Deixe um comentário

Quando morávamos em Porto Alegre, uma das nossas cachorras começou a ganhar peso após ser castrada. A Duna gostava muito de dormir e começou a ficar cada vez mais quietinha. Um ano antes de nos mudarmos fomos à veterinária e ela chamou a nossa atenção, pois a Duna estava com uns dois quilos acima do que deveria estar. Nos preocupamos, começamos a fazer mais exercício com ela e quando vimos já estávamos aqui em Florianópolis, morando em uma casa. Aqui ela voltou ao seu peso ideal, corre pra caramba, brinca bastante e dorme bem menos.

Ter um cachorro fora do peso é preocupante, mesmo que um, dois quilos. São diversos os problemas de saúde que o animal poderá obter com o tempo e devemos pesar nossos bichinhos seguido justamente para prevenir e dar uma vida saudável para eles.

Mês passado entrei no site Cachorro Verde, falando justamente sobre o sobrepeso dos cachorros. Segundo o site, podemos ver e sentir o peso ideal do cachorro. O primeiro, Escore de Condição Corporal (ECC) compara as imagens acima com seu dog. Deixe ele com as quatro patas no chão (como nas imagens) e compare: cintura visível entre costelas, abdômen pendular na vista lateral, pescoço largo. Fizemos esse teste com nossos quatro dogs e somente um ficou entre o ideal e gordo. O Soho, único macho, depois da nossa mudança (da casa do Santinho para esta casa), estava menos agitado, o que fez ele ganhar um quilo.

Para termos certeza que ele não estava no peso ideal, fizemos outro teste, do “palpômetro”. Sentindo o cachorro mesmo. Deixamos ele na posição de quatro patas no chão novamente e colocamos a mão no dorso até o final das costas, somente sentindo e não apertando. Devemos sentir as vértebras dorsais e no lombo os ossos pélvicos.  Vou colocar o texto na íntegra, pois é muito bem explicativo: “Para sentir as costelas, posicione o dedão na espinha dorsal do cão e os outros dedos nas costelas. Percorra a mão nessa posição, ao longo da lateral do cão. Você deve conseguir sentir as vértebras dorsais e as costelas, sem aplicar pressão. Consegue diferenciar as costelas? Se você precisou pressionar as costelas para senti-las, seu cão pode estar acima do peso. Se não conseguiu distinguir nada, nem as costelas e nem as vértebras ou o osso pélvico, é provável que ele esteja obeso. Uma camada muito espessa de gordura está envolvendo os ossos.”

E o veredito? O Soho estava realmente fora do peso ideal. Logo que tivemos a certeza disso, vimos que não estávamos brincando com eles diariamente. Um erro, com certeza. Voltamos à nossa rotina de exercícios e tudo melhorou, mas precisamos ficar de olhos abertos, pois todos animais precisam ter uma vida saudável. E o seu dog, está no peso ideal?

Apadrinhe/Amadrinhe uma castração

04/10/2011 § Deixe um comentário

Quem me conhece sabe que um dos meus sonhos é ter uma instituição de ajuda aos animais, principalmente se falando sobre castração. Além de reduzir o número de ninhadas, a castração ajuda no combate a doenças e deixa o bichinho bem mais tranquilo.

Certo dia estava no twitter e vi um link para uma ONG aqui em Florianópolis que ajuda os animais exatamente da forma como sempre pensei que pudesse ajudar. Fui atrás e descobri que a ONG se chama AMAR – Amigos dos Animais de Rua e muito me chamou a atenção sobre o apadrinhamento/amadrinhamento de castração. Temos aqui em casa quatro cachorros adotados e no momento não podemos ter mais, por isso quis ir atrás de ONGs para ajudar de outras formas.

Achei tão bacana a ONG, que enviei email para eles para que enviassem um texto explicativo do trabalho que realizam e principalmente sobre essa ajuda na castração. Abaixo coloco o texto que foi enviado pela Jane, da AMAR:

A ONG AMAR – Amigos dos Animais de Rua  (CNPJ n° 14.239.436/0001-42) – foi formada  por protetores que atuam, de forma independente,  há vários anos na grande Florianópolis, recolhendo, tratando, alimentando, castrando e doando animais.

Apesar de nossos esforços, não víamos diminuir o abandono e os maus-tratos, razão pela qual   optamos pela solução do problema na sua raiz: castrar o maior número de  animais possível.

Oferecemos, na medida do possível, castração TOTALMENTE GRÁTIS para os animais que vivem em comunidades carentes.

A AMAR  busca recursos ainda  para castrar animais que se encontrem em casas de protetores,  aguardando adoção. Há mais de 300 protetores na grande Florianópolis, grande parte deles abrigando animais além de suas possibilidades financeiras, o que os impede de arcar com os custos de castrações.

Também colocamos à disposição da população em geral  a castração de animais de estimação  a preços sociais, por meio da venda do VALE-CASTRAÇÃO  parcialmente subsidiado.

Quanto mais animais forem castrados,  menor será o número de ninhadas e, consequentemente, menos abandono haverá.

A AMAR NÃO TEM E É CONTRA ABRIGOS, pois entende que abrigos acabam virando depósito de animais, com animais amontoados, maltratados, estressados, confinados, passando doenças uns para os outros e fome.

Se você quer fazer parte da solução, apadrinhe/amadrinhe uma castração (veja nossa página de animais que esperam castração). Você também pode ajudar a evitar o abandono e o sofrimento castrando o seu animal de estimação, o animal de estimação de algum vizinho, de algum amigo, de um parente, de um colaborador seu, enfim a castração de qualquer animal de estimação, através da compra do vale-castração.

Nosso site é www.amigosdosanimaisderua.com.br

Não precisamos necessariamente adotar um bichinho para ajudá-lo. Existem muitas formas e apadrinhar/amadrinhas para a castração é uma forma muito bacana de fazer a diferença! Pense bem!

Obs: Hoje é dia Mundial dos Animais! Vamos colocar a mão na massa e ajudar de alguma forma?

Adote

28/09/2011 § Deixe um comentário

Quando eu tinha quatro anos meus pais decidiram ter um cachorro em casa. Eu era uma criança que tinha alguns medos e eles acharam a melhor opção ter um dog para minha companhia, companhia deles e para cuidar da casa. Decidiram que queriam uma cachorra de porte grande, uma pastora alemã, toda preta. Quando chegou lá na casa que morávamos, ela morria de medo de mim e eu dela. Eu tinha tanto medo que ficava em cima da mesa e ela embaixo, sem saber o que fazer. Era cômico e eu lembro bem.

Depois da Lika, nossa pastora, vieram mais seis cachorros. Adotados ou não. Alguns comprados por valores simbólicos, outros caros (na realidade somente uma, a Yorkshire). Assim posso com alguma base falar sobre a compra e a adoção de animais. Existe diferença. Eu ainda não tinha noção sobre isso, pois era muito novinha, mas com o tempo pude amadurecer e perceber o quanto nossas atitudes podem modificar tudo ao nosso redor. A atitude de cada um respinga sobre todos nós, sem pedir permissão.

Quando eu era ainda pequena, uma das nossas cachorras que adotamos estava grávida e teve nove filhotes. Nove! Gente, vocês sabem o que é colocar para adotar um cachorro sem raça? Foi o início de um processo doloroso e de amadurecimento, e pude ver ao meu redor o que estava na realidade acontecendo: eram animais sendo abandonados, machucados, sendo mal tratados, sem contar com as ninhadas que tinham aos montes na rua. A crueldade de um mundo que trata animais como objetos é pesado gente. Pude ver de perto o que acontece em canis (dogs doentes, deixados em lugares insalubres, mal tratados).

Estamos em um momento no mundo que precisamos ter consciência dos nossos atos. O que nossos antepassados fizeram está tendo o reflexo agora no mundo e não está sendo legal. Por isso, caro leitor, se quiseres ter um animal de estimação, se queres mesmo com consciência de toda a responsabilidade por outro ser vivo, adote, não compre. Se tu tiveres um cachorro de raça e quiseres cruzar, pense duas vezes. Três vezes, até quatro vezes. Existem milhares de animais abandonados, sem donos espalhados no Brasil e mundo afora, esperando por alguém bacana, e colocar mais animais no mundo somente por querer, ou ganhar dinheiro através de animais domesticados é um tanto quanto egoísta. Pense bem. 

Nada melhor do que enxergar além do próprio umbigo e sermos coerentes com tudo ao nosso redor. O mundo está em um processo de modificação e podemos melhorá-lo.

* Frase retirada de uma faixa que está na Lagoa da Conceição, aqui em Florianópolis. Antes de ver ao vivo a faixa, vi no Mãe de Cachorro. Também li um texto muito bacana no site Cachorro Verde, vale a pena ler!

** Foto cheia de pose do nosso cachorro da casa, Soho. Fez pose de triste!

Adoção de bichos

25/08/2011 § Deixe um comentário

Vamos combinar? Ter um bichinho de estimação dá trabalho, muito trabalho. E sim, gasta-se uma grana para ter eles bem. Por isso falamos que é como ter um filho, pois devemos dar atenção, brincar, educar, alimentar, dar banho, dar vacinas, cuidar nos momentos ruins. E é justamente por isso que se alguém pensa em ter um, tem que pensar muito bem. Tem que ser responsável por outro ser vivo, então pense muito bem antes de ter em casa.

E é nesse ponto que o mundo inteiro está chamando a atenção. Existem muitos cachorros e gatos sem lar hoje em dia, em todo o mundo. A venda de animais de raça se tornou uma fonte de renda para as pessoas, e na sua maior parte, não existe uma filosofia em cuidar dos animais, de ter um bem estar, ao contrário, são somente objetos para trazerem dinheiro para seus donos. Os animais se tornaram negócios e nada mais que isso. A maior parte dos animais que sei que são comprados, vem com problemas de saude, na maior parte das vezes sério. Seus donos, que compram os animais no impulso de achar bonitinho o filhote, começam a achar que o animal é muito custoso e não dão o devido tratamento ao animal. Muitas vezes, por não quererem se responsabilizar pelo animal, simplesmente o abandonam. Sim, isso acontece muito mais do que nós podemos imaginar. E é por essas e mais outras razões que somos contra a venda de animais.

Após a proibição de venda de animais em Los Angeles, agora é a vez de duas grandes redes de pet shop do Canadá a fazerem a diferença. A PJ’s Pets e a Pets Unlimited irão suspender a partir de setembro a venda de filhotes de cachorros e gatos em todas as suas lojas. Assim, incentivarão a adoção dos animais no mesmo local onde existia a venda, também distribuindo informações de conscientização sobre a importância de adotar animais, já que sem uma campanha educativa eles acreditam que não irá resolver o problema dos animais sem dono.

Esse é o futuro. Domesticamos os animais e agora eles precisam de nós. Agora vamos fazer nossa parte?

PS: As fotos acima são dos nossos dogs na primeira semana que estavam conosco! Somente a Bergamota, na foto abaixo à esquerda é que já tinha um ano, os outros eram filhotes. Os quatro foram adotados, três diretamente da rua e um da ONG Bicho do Campus, da UFRGS, em Porto Alegre.

A nossa salvação: O Vivo

17/08/2011 § 4 Comentários

Depois de ter um sofá, algumas cobertas, travesseiros, chinelos destruidos, a pessoa começa e pensar o que pode fazer para ajudar seus animais de estimação, certo? Sempre dávamos para nossos dogs brinquedos que eram de fios que ajudavam a limpar os dentes e ainda assim brincavam pra caramba, principalmente de cabo de guerra. Só que com o tempo, tudo o que tinha fios eles pegavam também e aí é que a coisa ficou séria. Eles achavam que tudo com fios era brincadeira e poderiam destruir… tsc, tsc, descobrimos tarde isso!

Com o tempo nossos filhotes cresceram e não destroem mais nada. Mas se eu soubesse de um brinquedo antes, nossa, teria quebrado alto galho para nós! Um dia eles ganharam da minha mãe um boneco de Nylon branco, muito duro. Ali no pacote dizia que era 100% atóxico, de alta durabilidade e resistência, que limpam os dentes e massageia a gengiva. Foi a nossa glória (sério)!

Eles amam muito esse brinquedo. Depois que começamos a dar para eles mastigarem e se divertirem, os dentes ficaram muito mais branquinhos, o tártaro diminuiu consideravelmente e eles ficam mesmo satisfeitos depois de um tempo com o brinquedo! E é super fácil limpar, já que é de Nylon, só com água morna já está ok.


Essa é a nossa dica para esses pequenos “terríveis”. Nós chamamos de Vivo, porque se parece um pouco com o bonequinho da Vivo, sabem? Ali na foto a Terra, nossa maior destruidora, curtindo muito o brinquedo dela.Ah, sim, na realidade é da marca Buddy Toys e cada um custa R$17,85 + frete. Comprei na Dog World e veio super certinho, valeu a pena mesmo!

A mobilização que fez a diferença

29/07/2011 § Deixe um comentário

Desde que lembro da minha família, ajudamos os animais. Sempre. É algo que sempre esteve presente na minha vida. Minha mãe sempre adotava ou ajudava os animais ao redor da nossa casa. Chegou um tempo que tínhamos sete dogs em casa, ajudando outros, pensando em adotar sempre. Quando fui morar em Porto Alegre para fazer faculdade (sou de Caxias do Sul, interior do RS), não podia ajudar tanto, mas mesmo assim fazia o meu melhor com todos os animais que achava na rua. Com o tempo a coisa foi mudando. Há cinco anos adotamos nosso primeiro dog, a Duna, que estava na rua em uma praia do sul. E depois, bem, agora são já quatro dogs que adotamos da rua. Bem vira-latas. Mesmo (por enquanto) não podendo adotar mais outros animais, ajudamos os que estão na rua, ou instituições, ou amigos que precisam de uma ajuda.

Eis que anteontem recebi um email comentando que no Shopping Iguatemi de Caxias do Sul teria uma feira de comercialização de animais. E foi quando começou uma mobilização na internet por parte da Soama (Sociedade Amigos dos Animais), uma ONG de animais abandonados de Caxias do Sul, para todos que tinham interesse enviassem emails para o shopping comentando o absurdo que poderia acontecer. E, claro, entrei em contato para fazer minha parte.

Agora voltando ao ponto das feiras. Qual o problema para que não quiséssemos que acontecesse?

Os animais que são criados para venda, na sua maioria, são criados sem as mínimas condições e adquiridos em um consumo por impulso, não medindo consequências de ter um bichinho de estimação. Para terem uma idéia, em Los Angeles, nos Estados Unidos, neste ano foi aprovado por unanimidade a proibição da criação de cães de raça, gatos, galinhas e coelhos e a sua venda em lojas de animais. Dessa forma, crescerão as associações de ajuda aos animais e as mesmas terão oportunidades de poder colocar para adotar os animais abandonados (que são muitos, mesmo, em qualquer lugar).

Quando soube ontem que o Shopping havia cancelado a feira de animais, foi uma grande surpresa e o mundo ganhou um voto de confiança meu! Com uma mobilização muito bacana, por parte de diversas pessoas e entidades, se conseguiu o grande objetivo! São momentos como esse que acredito que podemos fazer a diferença! Foi neste pequeno momento que percebi que estamos de fato ajudando, de forma simples e gradual, estamos de fato podendo mudar o nosso futuro. Fiquei muito feliz!

Foto acima do João. Essa é a Bergamota, que está conosco desde o final de Março. Adotamos ela depois de acharmos mais de 50 carrapatos nela e estar completamente desnutrida. Morava nas ruas da praia do Santinho, aqui em Florianópolis. Já tem um ano e foi castrada antes de pagarmos ela da rua (a prefeitura aqui pega os dogs que estão na rua, castram, e devolvem para rua). A nossa ruivinha é muito fofa e já está super adaptada aqui em casa!

Onde estou?

Você está navegando atualmente a Cachorros | Gatos categoria em .