O verdadeiro plástico

21/09/2010 § 9 Comentários

Tenho muitas reticências com o plástico. Principalmente com plástico sendo utilizado na cozinha. São potes, copos, talheres, mais potes, embalagens de alimentos, bombonas d’água, PETs, e por aí vai. Faz já algum tempo que aqui em casa estamos trocando todos os potes de plástico para armazenar alimentos por potes de vidro. Custam um tiquinho a mais e sua vida útil é enorme. Desses potes falo dos tipo tupperware, com tampa, que servem para marmitas, guardar restos de alimentos, etc. Também compramos muitos alimentos à granel, como arroz, proteína de soja, cacau, e logo que chego das compras coloco esses alimentos diretamente em potes. Achei uns potes lindos de vidro reciclado na Tok & Stok e adoro, custam uns R$11,00. Para água mineral já trocamos as bombonas por filtro, colocamos diretamente no bico da torneira d’água e deixamos assim a água mais limpa e sem contato com plásticos do tipo PET.

Mas porque estou falando disso? Essa só foi uma introdução do que fazemos aqui. Agora o porque: o plástico tem um aditivo polimérico chamado Bisfenol A. Recebi um email de uma amiga, que é engenheira química e estuda os materiais à fundo, sobre uma nota na revista Pesquisa Ciência e Tecnologia da FAPESP de julho de 2010. Vou colocar na íntegra o texto:

Muitos estudos já detectaram que a água vendida em garrafas de plástico PET contém a substância bisfenol A, uma molécula que se encaixa nos receptores de hormônios femininos e altera o funcionamento hormonal tanto nas mulheres como nos homens. Uma equipe japonesa liderada pelo químico Yasuyuki Shimohigashi, da Universidade Kyushu, agora descobriu um bisfenol A enriquecido em flúor: o bisfenol AF. Em artigo publicado na Environmental Health Perspectives, o grupo demonstra que o bisfenol AF tem uma afinidade por dois tipos de receptores relacionados ao estrogênio – o alfa e o beta -, respectivamente 20 vezes e 50 vezes mais forte que o primo bisfenol A. A molécula ativa o primeiro receptor como se fosse o próprio hormônio feminino e bloqueia o segundo, impedindo a ação hormonal. O resultado é um desequilíbrio que pode contribuir para o surgimento de cânceres reprodutivos. Não há uma estimativa do nível de exposição a que estão sujeitos os usuários de água engarrafada em plástico.

E isso não é somente em PETs, mas também em qualquer plástico, já que o Bisfenol A vai no plástico e ” não é ligado quimicamente ao material e aí que ele vai se despreendendo do produto desde a sua fabricação até todo ciclo de vida útil do produto e vai junto da comida, da água e pior ainda quando a gente resolve guardar comida quente em embalagens plásticas, porque o calor acelera esse despreendimento de Bisfenol A (dependendo do plástico pode ser outros aditivos, um outro exemplo é o ftalato)”,  de acordo com Camila Bianco, a engenheira que enviou este email.

Agora me digam, não é preocupante? Por isso sempre digo, sustentabilidade também é saúde, qualidade de vida. Ok, vidros podem ser mais caros que plásticos, mas pense em comprar mais produtos à granel, consumir menos produtos que estejam em plásticos. Qualidade de vida gente, à longo prazo a gente recebe a conta. Vocês sabem do que eu estou falando, certo?

Imagem acima fazendo alusão ao clássico copinho de plástico. Mas nesse caso é de vidro.


Anúncios

Marcado:, , , , , , ,

§ 9 Respostas para O verdadeiro plástico

  • Veridiana disse:

    Kelly,
    antes de tudo parabéns pela iniciativa de por em prática o que aprendeste. Trocar o máximo possível de objetos de plástico por objetos de vidro nem sempre é uma atitude que adotamos com tranquilidade, principalmente porque estamos muito acostumados ao que é descartável. Não podemos negar que é muito mais fácil comprar, consumir e jogar fora. Mas, como tu disseste, sustentabilidade é questão de qualidade de vida, e também de responsabilidade em relação ao futuro.

    Quanto ao vidro ser mais caro, é verdade, mas sempre podemos adaptar potes de vidro que compramos para outras coisas. Lembro que minha avó sempre pedia aos filhos que guardassem os potes de palmito e pepino em conserva para depois reaproveitá-los para colocar suas maravilhosas geléias. 🙂

    Um grande abraço,
    Veridiana

    • Kelly disse:

      Veridiana, tudo bom??
      Valeu!! Sempre tentamos colocar tudo aqui no blog de acordo com sustentabildade, com qualidade de vida, com saúde, com filosofias que fazem as pessoas pensarem realmente no papel neste mundo, já que estamos em sintonia com tudo o que acontece ao nosso redor.
      Com certeza, quem tem a possibilidade de adaptar vidros de embalagens, aumentando a vida útil do produto, melhor ainda! O ciclo de vida das embalagens é super importante também, faz com que o consumo seja menor e os produtos fiquem mais tempo dando retorno ao consumidor. Sou totalmente favorável.
      O bacana também disso é mostrar para todos o mal que realmente alguns produtos fazem à nossa saúde, além da saúde ambiental.
      Voltamos aos tempos antigos, onde vidros faziam parte de praticamente todas as embalagens.

      Bjs,

  • […] Ano passado, exatamente há um ano atrás, escrevi sobre a face maligna do plástico. Coloquei os males que uma substância pode trazer para nosso organismo: o Bisfenol A, ou BPA. Em diversos países a substância é proibida em qualquer plástico. No Brasil, no dia 15 de setembro deste ano, a ANVISA determinou a proibição de fabricação e venda de mamadeiras que tenham bisfenol A. […]

  • Camila Bianco disse:

    Ké querida, ainda em tempo…
    Adorei a iniciativa e o apoio! Aos poucos a gente vai conseguindo um mundo melhor, né?!
    Bjs

  • Fernando disse:

    Se isto for realmente verdade, estamos fritos, pois hoje a maioria das caixas d’água são de plástico e as tubulações todas são de plástico. A não ser que o filtro elimine o BPA.

  • Muito bom! Tem que evitar bisfenol A e os ftalatos, entre outros produtos perigosos. Escrevi um grande artigo sobre isso, os disruptores endócrino.
    vitoria-sustentavel.blogspot.com.br/2014/01/introduzindo-o-principio-antitoxico.html

  • Muito bom! Tem que evitar bisfenol A e os ftalatos, entre outros produtos perigosos. Escrevi um grande artigo sobre isso, os disruptores endócrino.
    http://vitoria-sustentavel.blogspot.com.br/2014/01/introduzindo-o-principio-antitoxico.html

  • fernanda disse:

    to preocupada com isso… mesmo trocando os materiais da cozinha temos plastico na caixa d’água e no encanamento.. não ha riscos de contaminação?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento O verdadeiro plástico no .

Meta

%d blogueiros gostam disto: