Resta

26/05/2010 § Deixe um comentário

Esse post é uma continuação do post abaixo… continuando com a arte da cozinha!

Você que pensa que um redesenho somente da casa vale a pena, pense novamente. Principalmente se tiveres um restaurante. As imagens abaixo são de um restaurante reformado em San Diego, na California, mas se vocês derem realmente uma boa olhada, verão que as reformas utilizaram alguns móveis que já estavam no local e só foram, digamos assim, remasterizados. As luminárias foram feitas com cestos de metal vintage, mesas pintadas, paredes pintadas e esses lambris? Podemos chamar de lambris ou seriam painéis? Bom, de qualquer forma, achei super lindo e muito, muito factível.

Imagens design sponge.

Anúncios

A arte de cozinhar

26/05/2010 § Deixe um comentário

Não posso dizer que meu lugar preferido na casa seja a cozinha. Mas, desde que nos mudamos, estou um pouco mais perto dela, tenho achado ela mais aconchegante. Claro, tudo melhora com o posicionamento de tudo, as dimensões,  a ergonomia do espaço. Quando conheci o João, eu tinha aqueles fogões de acampamento, sabe, de uma bica só. Ele achou aquilo horroroso e, como fomos logo morar juntos, ele providenciou um fogão rapidinho. Ele curte cozinhar. E eu… curto decorar! Ahahaha. Tanto a mesa, quanto os pratos, quanto os cômodos!

Bom, mas findi desses, sem ter mais filmes em casa para assistir, fomos atrás de uma locadora aqui perto. Eis que pego o filme acima: Julie e Julia. Estou por fora de fato dos filmes… quero dizer, da sinopse. Peguei o filme, sabia que Meryl Streep tinha sido indicada para Oscar de melhor atriz, mas não li nada na parte de trás e como nessa locadora eles entregam em outra caixinha… nem soube de fato do que se tratava… Sério! E de fato, que coisa mais séria isso, nem olhei direito a capa, pois na capa já diz de fato o que é. Bom, tirando esse fator importante, curtiiiii assistir!

Honestamente, como o filme permeia suavemente e nos coloca junto de toda a historia. E, claro, o detalhe importante, se você não sabe ainda, o filme trata de duas historias verídicas, de duas mulheres que mudaram o curso de suas vidas graças à culinária francesa, em épocas bem diferentes. Assim vejo o filme, minha sinopse, ok? No final do filme, e após ver os comentários da diretora, fiquei super afim de ter mais livros gastronômicos por aqui. Sério. Mas daria para o João!!! Ehehe, sou ótima ajudante, tirando os doces. Eu amo fazer doces, muitas vezes nem gosto de comer tanto, mas acho tão fáceis, gostosos e sempre tem uma cara linda!

Hum, e ainda o filme mostra a Julie chegando aos 30 anos… minhas amigas estão super apavoradas por chegarem a essa idade e muitas coisas gostariam de ter feito e não fizeram. Sinceramente, não estou preocupada com meus 30 anos, estou é curtindo pra caramba, curto tudo muito mais agora, estou menos ansiosa, muito mais decidida, como poderei não gostar disso??? Bom, mas no filme acho que é assim que começa a virada da vida da moça… enquanto que Meryl Streep não poderia estar mais maravilhosa no seu papel de excelente atriz. Cara, que mulher talentosa!!!!!!!!

Mel

24/05/2010 § Deixe um comentário

Caramba, que design lindo.

Babees. Precisa dizer que é embalagem de mel? Foi criado por designers da Polônia para encorajar crianças a procurar o mel ao invés de açúcar refinado. Bom, mas não precisa ser criança para querer essas embalagens, não? Gostaria de comprar só um potinho, daí seria O potinho de mel aqui em casa. Lindo, lindo, lindo. E simples. Como eu adoro!

Design Ah&Oh Studio. Achei em lovely package.

Cabeceira. Faça Você Mesmo

21/05/2010 § 2 Comentários

Tempo louco por aqui. Acabou de aparecer um ciclone e mais outro virá nesses dias. Floripa e várias outros lugares sofrem com tudo isso. Ventos, chuvas, calor, frio, tudo em um dia. É meu caro, o clima está punk.

Fazendo de conta que tudo está ok,  lembrei que fazia tempo que não falava de cabeceiras. Um dia coloco a nossa aqui, se bem que já postei como era no apartamento antigo. Bom, eu sou fã de cabeceiras e, principalmente, de projetos faça você mesmo ou projetos criativos mesmo. E essa cabeceira é bem tudo isso. Fácil de fazer (com paciência e calma, tudo fica certinho), tu podes encolher o tecido que quiseres e tcharannnn, coisa mais linda. As imagens abaixo falam por si só.

Quem quer ver todo o processo deste projeto, está no site all things thrifty, não precisa saber inglês para entender, as imagens já são super explicativas. Vi no made by girl.

Pequenas Leituras

19/05/2010 § Deixe um comentário

Tenho uma mania antiga. Desde que saí da casa dos meus pais (isso faz uns dez anos, por aí), quando estou comendo, sempre leio. Ou vejo filme, ou TV, ou algo do tipo. Nos almoços que estou sozinha, pego uma revista, não importa de que ano, e começo a folhear. É como se eu estivesse sempre acompanhada. Dias desses peguei uma TPM das antigas (já contei que não coloco fora as revistas?), de 2003 (ok, nem tão das antigas assim) e cheguei em uma página ótima, de uma editora convidada, Jéssica DeSilva, citando dois livros que nunca li e agora tenho maior pretensão em fazer.

1. The Bad Girls Guide to Get What You Want, de Cameron Tuttle. É um livro com dicas, conselhos, truques dos mais engraçados, sempre um pouco sacanas. Vou colocar aqui as dez dicas mais bacanas que a revista selecionou: 1. Pare de fazer os mesmos erros, cometa novos. 2. Se não é sexo incrível e não é amor verdadeiro, não vale o tempo. 3. Beba uma dose de vodca na próxima depilação. 4. Não lute para conseguir, lute para manter. 5. Finja que sabe e olhe no dicionário depois. 6. A vida não é uma corrida de cavalos, a menos que você esteja na frente. 7. Numa entrevista de emprego, carregue uma pasta, ainda que vazia. 8. Visite uma barbearia. Pense nisso: só rapazes, nenhuma competição. 9. Se você esperar para ter o que quer, pode ser tarde demais. 10. Se você não está assustando ninguém, não está sendo má o suficiente. O livro custa 11 dólares na amazon (link no nome) + frete. Não achei em português.

2.Meu Jeito de Fazer Negócios, de Anita Roddick, dona da The Body Shop, uma das maiores redes de lojas de cosméticos. Já li muito sobre a empresa e sua dona, durante anos tinha no mural de casa uma Barbie mais cheinha que era garota propaganda (está neste post) para a marca que peguei em uma revista que distribuíam. Agora a frase que me fez despertar e ter muita vontade de ler o livro: “Nenhum creme fará seus seios maiores ou suas coxas mais finas. Nenhum xampu eliminará as pontas duplas dos cabelos, por mais que os fabricantes afirmem isso.” Sensacional. O livro custa uns R$50,00.

O carro

17/05/2010 § 2 Comentários

Ficamos dois meses sem o nosso carro. Estávamos a dois meses em Florianópolis quando um motoqueiro acertou em cheio nossa lateral do carro. O motoqueiro passou muito mal, agora está melhor. O João não se machucou, mas ficou com um puta trauma. O carro, depois de dois meses entre ligar para corretor, seguradora, concessionária e um grande tufo, voltou novinho em folha, já que tiveram que trocar as peças inteiras dele.

Mas isso é só a introdução. Nesses dois meses, sem ainda conhecer os meios de transporte da cidade, tivemos que nos virar muito bem. E digo que realmente nos viramos bem! Moramos em uma das praias mais longe do centro (Santinho), 30km mais ou menos. Ao contrário de Porto Alegre, que fazíamos tudo à pé, morávamos a alguns minutos do centro e nem usávamos o carro direito, aqui tudo é longe, demorado, mas perto da praia. Não via sentido em morar em Floripa e morar no centro!!! Então, morando longe, compras de supermercado que fazíamos antes de carro, fruteira idem, começamos a caminhar mais, andar de bus mais, descobrindo assim outra cidade. Descobrir os ônibus, as linhas, as paradas, a demora, os horários, as ruas. Foi então que percebi como estávamos reféns do carro.

Dia desses, lendo uma reportagem sobre Curitiba, li que todas as cidades devem ter um sistema de transporte para os cidadãos, para que deixem de utilizar demasiadamente o carro. E justamente nesta reportagem mostravam como o carro pode ser um super poluente, além de gastarmos muito mais. Aí que tudo se encaixa. Depois de receber o carro, notei como ele era importante, mas que em muitos momentos supervalorizamos o veículo, já que podemos fazer algumas coisas à pé, outras de ônibus mesmo, quem tem metrô melhor ainda. Eu particularmente gosto de andar de bus, já que não me estresso, fico ouvindo minha música, fico no meu mundo, sonhando acordada sobre a vida.

Já pensou nisso? Já pensou que ficamos reféns de certas tecnologias e quando ficamos sem, em primeiro momento podemos nos estressar ao ponto de não saber o que fazer e, logo em seguida, notar que não ter aquela tecnologia não foi tão ruim?

Mudar alguns hábitos. Parar um minuto e refletir. Ser sustentável, ser mais coerente, fazer parte do mundo de fato. Que tal?

Tudo branco

12/05/2010 § Deixe um comentário

Sabe por que eu não sou fã de tudo branco? Porque é a coisa mais difícil de limpar. E de manter limpo. Fico apavorada como aparece tudo, tudinhoooo, cabelo, grão de areia, riscos, pegadas de dogs (ahahhaha), tudo!!!! E por isso nunca terei um chão branco. Ao mesmo tempo, como o branco abre os horizontes não???? Realmente. Pra provar, um antes e depois animal. Na realidade simples (tudo o que era em tom marrom, da madeira, virou branco).

Uau. Realmente super. Outro lugar. Que tal??? Algumas demãos de tintas fazem diferença. Vi no design sponge.

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para maio, 2010 em .